Posts arquivados em: Tag: Mary E. Pearson

Resenhas 29maio • 2017

The Heart of Betrayal, por Mary E. Pearson

Segundo livro da série Crônicas de Amor e Ódio, finalmente. Eu demorei mais do que eu gostaria para ler esse livro, primeiro porque eu tenho um certo medo de continuações e, segundo, eu não sabia se estava preparada para que veria a seguir nessa história. E, mais uma vez, Mary E. Pearson me surpreendeu de uma forma tão devastadora, que eu realmente não sei se eu vou conseguir me recuperar da ressaca literária que The Heart of Betrayal me causou.

The Heart of Betrayal começa exatamente onde o primeiro livro da série nos deixo. Lia e Rafe estão sendo levados pelos soldados da Venda para encontrar o Komisar. Kaden e os outros acreditam que Rafe seja realmente um emissário enviado pelo príncipe Jaxon, e Lia começa a se preocupar com o seu destino dentro daquele lugar desconhecido. As coisas não poderiam estar mais complicadas para ela, principalmente quando o Komisar começar a demonstrar um certo interesse por ela. Sem muitas chances de escapar e ainda tendo que encontrar forças para confiar em Rafe, a quem ela agora reconhece como príncipe Jaxon, o noivo que abandonou no altar, Lia precisa desvendar os mistérios de seu dom e encontrar uma forma de salvar a todos que ama.

Sendo bem sincera com vocês, o enredo de The Heart of Betrayal é bem mais complexo e cheio de reviravoltas. Uma simples sinopse não chega nem perto de descrever o que acontece dentro desse enredo – o que para mim foi realmente maravilhoso. Neste segundo livro da série, Lia é obrigada a enfrentar uma nova realidade: a de prisioneira. Eu gostei muito de como a personagem foi obrigada a crescer e se adaptar à nova situação para sobreviver. Diferente de Rafe e Kaden, ela não teve nenhum tipo de treinamento, não podendo contar com a força bruta, mas eu gostei muito de que, mesmo com todas as dificuldades ela tenha aprendido a calcular os seus movimentos ao longo do enredo.

Mary E. Pearson realmente me surpreendeu com a continuação de The Kiss of Deception. Até então eu não sabia como a autora pretendia continuar com a história, mas eu gostei muito que ela tenha desenvolvido o enredo de forma que tenhamos a chance de conhecer um pouco mais de cada um dos personagens principais apresentados no primeiro livro. Sua escrita continua leve, embora o fato do segundo livro se passar todo dentro do reino da Venda, tenha me incomodado um pouco. Não sei, acho que quando um livro assim, cheio de ações e conspirações e passa em apenas um lugar, a sensação que eu tenho é que o enredo está parado, mesmo que muitas coisas estejam acontecendo ao mesmo tempo.

Meu maior medo nesse segundo livro era me deparar novamente com um triângulo amoroso, principalmente porque se tem uma coisa do qual a literatura já está saturada é de romances entre três pessoas que só será realmente resolvido no último livro – lembram de A Seleção? Acredito que o fato da Lia ter crescido muito do primeiro livro para esse, nos deu a oportunidade de conhecer um lado da personagem que não tinha sido mostrado ainda. Ela sabe mentir muito bem. E embora no primeiro livro eu tenha ficado dívida sobre por quem ela deveria se apaixonar, eu gostei de ver que ela, Lia, sabe exatamente a quem seu coração pertence, mas ao mesmo tempo está disposta a jogar todas as suas cartas na mesa para sobreviver.

Kaden foi um personagem que me surpreendeu muito, embora não tenha sido de uma forma tão positiva. Mesmo sendo um ótimo assassino, até mesmo ele consegue se deixar levar pelo coração – e isso me decepcionou demais em relação a ele.  A forma como ele se entrega para Lia e deixa que ela minta descaradamente para ele apenas pela mísera esperança de que o que ela está dizendo seja verdade, não sei, foi bastante decepcionante. Eu tinha esperanças de que ele se tornasse um personagem mais forme, talvez mais endurecido pelas experiências que teve, mas neste segundo livro ele se mostrou o clássico menino apaixonado, infelizmente.

Eu queria muito que The Heart of Betrayal tivesse me mostrado um pouco mais do Rafe. Por mais que ele estivesse na história, eu senti que ele estava um pouco oculto nesse segundo livro. Ainda assim, as cenas dele com a Lia compensavam bastante a sua ausência no resto do enredo. Gostei muito de como a química entre os personagens melhorou de um livro para o outro e de como a autora escolheu fugir de alguns clichês normalmente utilizados em plots românticos. Eu gosto muito de como os dois foram um bom casal, mesmo quando estão quase se matando. A sinceridade que existe entre eles os torna mais real e muito mais fácil de ver que o sentimento que existe entre eles é de verdade.

Gostei muito de conhecer a Venda como reino. Achei um cenário interessante para história, principalmente por eles terem uma cultura completamente diferente dos outros reinos do universo. Outro ponto muito positivo foi ter a oportunidade de conhecer os outros irmãos da Lia, que ainda não tinham sido apresentados no primeiro livro. Além disso a autora também explicou um pouco mais do que aconteceu com Pauline, depois do sequestro da Lia, que foi uma das minhas cenas favoritas do livro – embora também seja uma das mais tristes.

Eu realmente gostei de fazer a leitura de The Heart of Betrayal. Mary E. Pearson tem um talento muito grande para desenvolver uma história com um enredo de tirar o folego, fazendo o leitor se questionar o tempo todo o que será que pode acontecer no capítulo seguinte. Cada personagem tem uma carga emocional única e a autora não mede esforços para usar e abusar disso ao longo da história. Eu realmente estou muito curiosa para saber o que vai acontecer no último livro da série, principalmente porque The Heart of Betrayal termina de uma forma muito inesperada.

Se você ainda não leu The Kiss of Deception ou ainda não conhece essa série, eu recomendo demais a leitura de Mary E. Pearson. Tenho certeza que a escrita eletrizante e envolvente da autor vai te conquistar desde o primeiro capítulo.

Confira também a resenha do primeiro livro da série, The Kiss of Deception.

Resenhas 25dez • 2016

The Kiss of Deception, por Mary E. Pearson

Eu, honestamente, não estou sabendo lidar com a maravilha que é a leitura de The Kiss of Deception. Faz algum tempo que eu não fico tão animada com uma fantasia Young Adult, mas Mary E. Pearson sabia muito bem o universo que estava criando e não deixou de fora nenhum elemento que compõe uma boa história. Para aqueles que não conhecem o livro, The Kiss of Deception foi publicado pela DarkSide Books no início do ano e é o primeiro livro da trilogia Crônicas de Amor e Ódio (The Remnant Chronicles).

O enredo de The Kiss of Deception se passa no reino de Morrighan, onde a princesa Lia, Primeira Filha da casa de Morrighan decidiu fugir de seu casamento arranjado com o príncipe cujo o rosto ela nem ao menos conhecia. Com a ajuda de sua amiga Pauline, as duas se aventuram em uma viagem perigosa até um lugar seguro onde Lia pudesse começar uma vida nova, longe das obrigações da realeza. O problema é que Lia acaba despertando a fúria de muitas pessoas com sua fuga. O príncipe abandonado decide encontra-la a qualquer custo, assim como um assassino recebe a missão de matá-la. O caminho de Lia acaba se cruzando com os dois rapazes, mas será que ela seria forte o suficiente para salvar sua própria vida e daqueles que ama?

the-kiss-of-deception-imagem-1

Arrepios na espinha, apenas. Eu não sei como consegui esperar três meses para mergulhar na escrita maravilhosa de Mary E. Pearson. The Kiss of Deception é narrado do ponto de vista de Lia, mas possui alguns capítulos alterados entre o Príncipe e o Assassino, impedindo o leitor de identificar quem é quem na história, e talvez esse seja o maior charme do livro. É simplesmente impossível você não se envolver com esse enredo tentando descobrir qual a identidade dos dois rapazes. Acredito que qualquer leitor que seja um pouco apaixonado por romance, vai dedicar horas de leitura a esse livro apenas para tentar decifrar esse mistério da narrativa.

Eu só tenho elogios para a escrita de Mary E. Pearson. Gostei muito do cuidado que ela teve parar criar todo o universo do livro e do fato do enredo não se desenvolver de forma apressada. Nós temos tempo suficiente para conhecer e nos envolver com todos os personagens do livro e conhecer bem suas histórias. Gostei muito de poder me envolver com a cultura desse universo, de encontrar diferentes dialetos e mistérios envolvendo crenças religiosas. Acredito que todo esse clima meio “mágico”, embora nenhuma magia tenha sido mostrada ainda, tenha deixado a leitura ainda mais prazerosa.

the-kiss-of-deception-imagem-2

Lia é uma personagem feminina de caráter muito forte. Acho que o que me fez realmente querer ler The Kiss of Deception foi o fato dela ter decidido virar as costas para suas obrigações e ir correr atrás da vida que ela realmente queria viver. A desconstrução da ideia de “princesa” ao longo do livro é bem interessante, principalmente quando a vemos abrir mão completamente de qualquer tratamento de realeza apenas para ser uma pessoa comum. Acho que é esse ponto que a tornou uma personagem tão fácil de se identificar, porque ela deixa de ser um “ser inalcançável” para ser apenas Lia, uma garota normal que trabalha para se sustentar, mas que também é capaz de cometer erros.

O romance é o mais desesperador que eu já li em toda a minha vida. Primeiro porque passei a maior parte da leitura com um personagem favorito, mas eu não sabia ao certo se ele era o Príncipe ou o Assassino. Ainda assim, eu gostei como a autora desenvolveu as primeiras experiências de Lia com o amor, e depois de um tempo, acabou não importando muito a identidade do personagem, porque as coisas vão acontecendo de tal forma que é simplesmente impossível você ignorar a conexão que ela cria com ambos os rapazes do enredo – um mais que o outro, claro.

the-kiss-of-deception-imagem-4

Normalmente eu não sou muito fã de triângulos amorosos, porque eu tive uma experiência lendo A Seleção e só eu sei como aquilo foi torturante. Mas eu gostei muito de como a autora trabalhou a questão de ter dois personagens masculinos interessados em Lia, e como a atenção dela se divide muito bem entre os dois. Gostei muito de ver como ela se encaixa com cada um deles, mesmo tendo escolhido o meu favorito logo nas primeiras cenas dos dois.

Ao contrário do que pode parecer, os personagens desse livro têm um crescimento muito interessante de um capítulo para o outro. Eu gostei muito de como a autora brincou com a questão de responsabilidade e dever que cada um tinha e ao mesmo tempo colocando em dúvida a forma como eles se sentiam em relação a cada situação vivida ao longo dos capítulos. Acho que isso fez com eles saíssem muito da pessoa que eles eram nos primeiros capítulos e começassem a caminhar para explorar todo o seu potencial.

the-kiss-of-deception-imagem-3

Não tem como negar que eu estou completamente apaixonada por todo esse universo de Crônicas de Amor e Ódio. Acho que o fato de eu ter conseguido me envolver tanto com a personagem principal, a ponto de visualizar e sentir tudo dentro do enredo, foi fundamental para que eu mergulhasse de cabeça na história e terminasse essa leitura já desejando a continuação. Gosto muito quando tenho a oportunidade de vivenciar um autor novo, assim como foi com Mary E. Pearson, e me apaixonar não só pela sua escrita, mas também pelo universo criado e seus personagens.

Aos fãs de fantasia acredito que esse enredo possa ser bastante encantador. Mesmo que possa parecer apenas um romance com um triangulo amoroso, The Kiss of Deception explora muitos outros aspectos, ainda mais quando se trata das escolhas feitas pela sua personagem principal. É um enredo que vale muito a pena ser colocado na estante se você está procurando por uma leitura fluida e cheia de aventuras.

Siga o @laoliphantblogInstagram