Posts arquivados em: Tag: kdramas

Doramas 13dez • 2017

The Best Hit mostra que a juventude também sofre seus dilemas.

Dá saga de doramas fofos que eu amei loucamente, vem aí os shipps errados nunca morrem e eu sou trouxa por shippar errado mais uma vez haha.

Lee Ji-Hoon é um jovem que busca o sonho de ser um idol (artista), mas prefere esconder isso de sua família, já que seus pais tem um certo receio sobre o assunto. Choi Woo-Seung é uma jovem que dedica seus dias a estudar para passar em um concurso público, concilia tudo entre o trabalho durante as tarde e noites, e estudando no período da manhã, ela é uma grande amiga de Ji-Hoon. Yoo Hyun-Jae é um idol dos anos 90, que depois de uma tempestade horrível acaba sendo levado para o futuro, e é nesse futuro que ele encontra com Ji Hoon e Woo Seung, que o atropelam sem querer e se responsabilizam por cuidar dele enquanto ele tenta lembrar quem é, e os motivos que o levaram ao futuro.

Esse dorama é um pouco diferente dos outros que já assisti, ele é uma mistura meio louca da vida do jovem adulto com um drama de viagem no tempo, bem diferente dos tipos que eu tenho o costume de assistir. Ji Hoon – o melhor personagem do drama inteiro e meu favorito haha, é um doce, ele tenta a todo esforço se tornar um idol, além de ser um amigo, o personagem é um fofura total, muito companheiro e leal, uma pena que sua construção no dorama não fez jus a todo o potencial do personagem.

Woo Seung é o que podemos chamar de garota batalhadora, bem ao estilo dos clichês nos doramas, ela vive momentos bem ruins chegando a ficar sem casa e sendo traída por uma das pessoas em quem mais confiava, mas seguiu em frente e mostrou a que veio. Hyun Jae, não é nem de longe meu favorito, nem mesmo me conquistou – talvez meu problema com ele seja que ele se meteu no meu shipp haha, o personagem parecia ter somente o propósito de ser irritante e fazer algumas besteiras, sua evolução no dorama foi bem ruim e isso me deixou sem entender o sentido dele ali.

Mesclando as relações familiares, com os desejos jovens de futuro melhor, o drama é um belo reflexo dos problemas e anseios que os jovens passam, anseios como o de não saber o futuro, o medo da frustração, as pressões pra que se seja alguém aos vinte anos. Em muitos momentos eu consegui me identificar com esses sofrimentos e essas pressões e acho que o dorama teria acertado muito se tivesse ficado apenas nessa temática. Só nisso eu fui completamente conquistada e quis acompanhar como seria a vida desses personagens com o decorrer da história.

The Best Hit é um dorama fofo que brinca nas relações, e bagunça nossas emoções com personagens tão reais e comuns, gente como a gente, que luta a cada dia tentando conquistar seu lugar nesse mundo enorme.

Gostou do post? Então se inscreve na newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos!

Doramas 30nov • 2017

The Heirs

Vamos falar desse dorama lindo e que me apresentou um dos meus atores favoritos? The Heirs não foi exatamente um dos primeiros que assisti, mas está guardado eternamente no meu coração por ser o primeiro a me apresentar o ideal romântico dos dramas coreanos, aquele lindo ideal de que caras ricos vão ficar com a prota (personagem principal feminina) humilde e ferrada de dinheiro.

The Heirs conta a história de vários estudantes de um colégio rico, todos os seus dilemas emocionais, financeiros, de relacionamento e etc.  Kim Tan é um jovem que foi enviado aos estados unidos muito jovem, por ser considerado a vergonha da família, já que é filho da amante do patriarca da família, afastado a muito tempo da família ele encontra Eun Sang passando por uma situação muito ruim e acaba ajudando ela, porém isso acaba sendo um causador de conflitos entre ele e sua noiva Rachel Yoo. Ao voltar a Coreia, nem tudo permanece fácil já que Eun Sang é filha da empregada da casa de Kim Tan e pra piorar sua situação ela acaba por ir estudar no mesmo colégio de Kim Tan, Rachel Yoo e Young Do, que é mimado e decide que terá Eun sang a todo custo.

A forma como iniciei esse post foi meu rude e pode assustar você mas acredite não é exatamente ruim, é apenas uma das coisas que observei em alguns doramas e é basicamente isso que acontece, alguns dramas dão aquele ideal de que caras ricos vão ficar com as gurias de família humilde, bem ao estilo Cinderela, como bem conhecemos. E Heirs não foge dessa perspectiva, mas o que me fez amar esse drama foram os personagens, e não exatamente o casal.

Young Do (meu favorito) é aquele típico adolescente mimado que faz tudo o que quer e desconta sua “crueldade” nos mais fracos, mas com o decorrer da história vamos compreendendo que toda essas atitudes ruins que ele tem são geradas pela forma que ele foi criado, pela falta de cuidado e afeto do pai e a falta da mãe, não digo que é justificável mas compreendi que na verdade é apenas uma máscara que ele criou pra não precisar por pra fora toda a dor que sente. Kim Tan passou parte de sua infância em outro país, apenas por ser um “erro” cometido pelo pai, e convive com essa dor a muitos anos, mas diferente de Young Do ele não utiliza da crueldade como arma de defesa, tenta apenas sobreviver a pressão de ser filho de um homem rico que acredita mandar em sua vida e decida-la como bem entende.

Eun Sang é o oposto da maioria dos personagens, de família pobre sempre lutou para ajudar a mãe e também ter um futuro melhor, e mesmo não sendo a mais carismática das personagens demonstra muita resiliência e achei isso incrível quando paramos pra pensar que a personagem é bem jovem. Cada um dos personagens tenta sobreviver ao ambiente nocivo em que foram criados, usando as armas que podem, e mesmo com as diferenças sociais, acabam compreendendo que são iguais em diversas questões.

Mas nem tudo são flores na vida né? The Heirs é um dorama muito bom por abordar as diferenças sociais na Coreia, mas ele ainda reforça relacionamentos complicados, não digo abusivos porque é um pouco demais, ainda mais sem analisar com um olhar mais crítico, mas não gostei de como algumas relações são construídas e mantidas. Mas assista e tire suas próprias conclusões, saiba o que te agrada ou não, e se divirta com as possibilidades.

Gostou do post? Então se inscreve na nossa newsletter para acompanhar os próximos conteúdos do blog!

Doramas 06out • 2017

W – Two Worlds

Two Worlds faz parte da minha lista de vistos por causa do Jong Suk, esse ator é tão minha paixão que dou a louca e assisto vários doramas que ele faz, mas a qualidade do drama foi tão boa que realmente me vi perdidamente apaixonada por tudo daquele universo.

Oh Yeon Joo é uma residente médica muito dedicada à sua profissão, que ama sua função e deseja ser uma médica cirurgiã da área cardiológica, filha de um famoso escritor e desenhista de webtoons vê sua vida mudar completamente quando é avisada de que seu pai Oh Sung Moo desapareceu. Ao tentar encontrar o pai ela acaba sendo levada a outra dimensão, e encontra um desconhecido sangrando e acaba por salvar a vida dele, o que não podia esperar era que o desconhecido é um famoso empresário milionário chamado Kang Chul, que tinha acabado de ser atacado pelo mesmo homem que a anos atrás assassinou toda sua família, o que Kang Chul não sabe é que sua realidade na verdade é apenas uma webtoon muito famosa na Coreia do Sul.

Esse drama é bem complexo, apesar de todo esse universo incrível e surreal, somos iniciados de forma comum numa história bem realista e próxima ao que podemos ver com nossos olhos, mas ao decorrer da história somos colocados numa história que mescla o irreal e o crível, temos seres humanos bem complexos e bem desenvolvidos numa história cheia de momentos fantasiosos.

Yeon Joo é uma protagonista que pra mim não é carismática mas seu desenvolvimento é tão bem feito que acabei aceitando a personagem e até me apegando um pouco a ela haha, mais do que imaginei que me apegaria inicialmente, ela é forte a seu modo e demonstra uma resiliência enorme, me imagino na mesma situação que ela e não sei se seria tão paciente assim.  Kang Chul tem todo meu amor nesse dorama, o personagem é não só carismático, bem pé no chão, diferente do que costuma ocorrer no mito do herói, ele não é apenas um cara bonito que salva a mocinha que ama, ele é inteligente.

O drama é bem dosado em tudo, tanto na criação do vilão anti-herói quanto no romance do casal, e mesmo tendo mais cenas de beijos do que todos outros doramas que já assisti na vida, nada é forçado demais, nem enrolado demais e a química entre eles perpassa a tela e faz com que a pessoa do outro lado sinta que está realmente vendo o surgimento real de um casal real como muitos que vemos nas ruas.

Eu gostei bastante da forma como o diretor trouxe a imagem do vilão sem dar a ele uma objetificação ou uma imagem concreta, e mesmo a simbologia do mal e do bem sendo bem clara no drama, a interpretação individual também pode dar a ‘’moral’’ da história uma visão diferente.

W- Two Worlds foi um dos primeiros doramas que assisti nesse estilo mais fantasioso e não me arrependo, ele é muito bom, a história é de qualidade e me passou uma reflexão de que mesmo na nossa realidade podemos ter um pouco de fantasia.

Gostou desse dorama? Então se inscreve na nossa newsletter para acompanhar os próximos conteúdos.

Siga o @laoliphantblogInstagram