La Oliphant

La Oliphant

Resenhas

Time Humanos por Justine L. & Sarah R. Brennan

O livro no Skoob e no Goodreads.

Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 352
Código ISBN: 8501077771

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Livraria Saraiva | Amazon |


Sinopse: A história ideal para quem ama ou odeia livros de vampiros. Mel nunca gostou de vampiros. A ideia de se transformar em alguém que não está nem vivo, nem morto lhe dá calafrios. Vampiros perdem a capacidade de sorrir, param de ter sentimentos.... Isso sem falar que durante a transformação, se as coisas derem errado, você se torna um zumbi. E aí eles matam você. É um risco grande demais! Quando a melhor amiga de Mel, Cathy, e Francis Duvaney se apaixonam, a garota fica apavorada. Francis é arrogante, formal, metido a esperto e esplêndido demais. Ora, vivo aquele vampiro não está. E quando começa a suspeitar de que Francis está usando Cathy num plano que não tem nada a ver com amor, Mel passa a dedicar seus dias a desvendar a verdade por trás do vampiro, a fazer sua amiga enxergar que aquele é um amor sem futuro, sem jeito, abominável..., mas talvez, quem sabe, ela esteja sendo um pouco preconceituosa...

Débora Costa
27 de setembro de 2017 27/09/2017 4 Comentários

Faz um tempo que eu ando um pouco traumatizada com livros sobrenaturais ou que retratam vampiros de uma forma muito distorcida. Eu sempre acabo me decepcionando com essas séries por causa do rumo que o enredo toma e, querendo ou não, essa ideia de “se apaixonar por um vampiro” sempre me deixou bastante incomodada muito antes de Crepúsculo. Por isso, quando Time Humanos foi lançado no Brasil, eu queria muito saber onde Justine Larbalestier e Sarah Rees Brennan iriam chegar com esse enredo e, apesar de não ter sido um dos melhores livros que eu li, Time Humanos é um Young Adult que vale muito a pena ser lido por aqueles que adoram um livro sobrenatural.

Time Humanos se passa em uma realidade onde humanos e vampiros coexistem em sociedade e é nesse universo que conhecemos a Mel, uma humana que não é a maior fã de vampiros que você vai encontrar. Na verdade, Mel acha a ideia de se tornar um vampiro algo muito absurdo, afinal, quem gostaria de perder todas as suas emoções e nunca mais poder andar no sol? As coisas começam a ficar complicadas quando Francis, um vampiro legítimo, começa a frequentar sua escola e sua melhor amiga, Cathy, se vê completamente apaixonada por ele. Mas Mel está convencida de que Francis tem um segredo e cabe a ela proteger sua melhor amiga dessa ameaça ao Time Humanos.

Com um enredo bem simples, Time Humanos está muito longe de ser um enredo assustador. No enredo de Justine e Sarah, ser um vampiro é uma questão social, algo que precisa de acompanhamento médico, mas totalmente aceitável se você está realmente decidido a passar pelo processo de transformação. Eu, particularmente, não gostei muito dessa realidade. O fato de você construir toda uma sociedade que aceita vampiros entre eles “numa boa” entra em conflito com o que são vampiros de verdade. O fato de você fazer com que eles tenham acompanhamento médico, um banco de sangue e todo esse apoio social tirou completamente a parte “assustadora” do livro. Em Time Humanos, vampiros não são predadores como em outras histórias, eles só são algo “diferente”, mas nada impressionante.

Um dos poucos vampiros que permitiu ser entrevistado sobre o tema descreveu a transformação como sendo renascer em um mundo sombrio, onde nada é real de verdade e nada possa realmente afetá-los. O vampiro pareceu achar isso uma coisa boa. (Viu? Que tipo de pessoa quer se tornar vampiro?).

A narrativa em primeira pessoa não chega a ser muito ruim, apesar de eu achar a Mel uma personagem muito chata de se acompanhar. Por mais que eu entenda que ela quer proteger a melhor amiga e desvendar todo o mistério por trás de Francis, eu acho que a personagem passa de todos os limites e coloca muito do que ela acredita acima da vontade das pessoas a volta dela e, por mais que eu consiga entender que isso faz parte do crescimento dela ao longo do livro, as autoras fizeram essa parte do enredo se bastante cansativa e chata de acompanhar. Eu realmente quis muito socar a cara da Mel em vários pontos do livro, principalmente quando ela era mal-educada por puro preconceito.

Apesar de não ter a melhor personagem principal que a gente poderia pedir em um livro supostamente sobrenatural, a leitura de Time Humanos não é a pior experiencia que você vai ter em um livro sobre vampiros. Eu gostei muito que as autoras tenham brincado com a questão da imortalidade, de abrir mão da sua humanidade para ter a vida eterna e principalmente da questão do “amor verdadeiro”, já que a forma como Cathy e Francis se apaixonam não podia ser mais sarcástica possível dentro da história e eu fico me perguntando se eles não vão se arrepender das escolhas que fizeram no futuro.

Quando você deixou de ter opinião? Desde que você conheceu esse cara tem sido “Francis disse isso! Francis disse aquilo! Fracs disse que eu devo morrer agora!”. Quando foi que você parou de pensar por si mesma?

Time Humanos é um Young Adult divertido, mas não sei se a proposta do livro agradaria a todos os tipos de leitor. Primeiro por causa da forma como as autoras do livro resolveram trabalhar com vampiros, mudando algumas coisas básicas sobre a transformação e outros detalhes e talvez porque a personagem principal não seja a mais legal que vamos conhecer. Ainda assim, Time Humanos é uma leitura divertida, com um plot interessante de conhecer e uma válvula de escape para quem já está muito cansado dos tradicionais livros de “mocinha-se-apaixona-por-vampiro”.

Gostou desta resenha? Então se inscreva na newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos!

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

ver todos os artigos »



Deixe seu Comentário


Débora Costa

Débora Costa

Geminiana. Escritora de romances nas horas vagas, mas viciada em séries no dia a dia. Publicitária hiperativa de 9h às 18h. Tem Oasis em todas as suas trilhas sonoras literárias. Prefere o Goodreads ao Skoob. A maluca dos romances de época que ainda vai escrever um livro sobre viagem no tempo.

O que eu estou lendo?

O Príncipe Corvo
Elizabeth Hoyt

Compre com desconto

@laoliphantblog

Colaboradores

Vinicius Fagundes

ver todos os artigos »

Beatriz Kollenz

ver todos os artigos »

Paac Rodrigues

ver todos os artigos »

Editoras Parceiras

Assine nossa Newsletter

Últimos Vídeos