La Oliphant

La Oliphant

Resenhas

Simplesmente o Paraíso por Julia Quinn

O livro no Skoob e no Goodreads.

Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2017
1º livro da série Quarteto Smythe-Smith
Número de Páginas: 272
Código ISBN: 9788580416626

Comprar: Submarino | Livraria Saraiva | Amazon |


Sinopse: Honoria Smythe-Smith é parte do famoso quarteto musical Smythe-Smith, embora não se engane e saiba que o dito quarteto carece sequer do menor sentido musical e tem esperanças postas que esta seja a última vez que se submeta a semelhante humilhação. Esta será sua temporada e com um pouco de sorte conseguirá um marido. Durante um jantar, põe seus olhos em Gregory Bridgerton, um dos mais jovens da família Bridgerton. Sabe que não está apaixonada, mas ele parece uma opção mais que válida. Marcus Holroyd é o melhor amigo do irmão de Honoria, Daniel, que vive exilado na Italia. Ele prometeu olhar por ela e leva suas responsabilidades muito seriamente. Odeia Londres e durante toda a temporada, permaneceu vigilante e intermediou quando acreditava que o pretendente não era o adequado. Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família. Entretanto, um desafortunado acidente faz que ambos repensem sua relação e encontrem a maneira de confrontar o que surge entre eles, se tiverem coragem suficiente.

Débora Costa
19 de outubro de 2017 19/10/2017 2 Comentários

Primeiro livro da série “Quarteto Smythe-Smith”, recentemente lançado pela Editora Arqueiro em um box especial de tirar o fôlego. E eu preciso dizer que, se você já leu a série Os Bridgertons, ou pelo menos o sétimo livro da série, você provavelmente conhece os Smythe-Smith e já ouviu falar sobre as habilidades – ou falta delas – musicais das moças da família. Basicamente, todas as moças solteiras passam por esse ritual até contraírem matrimônio. Quando uma se casa, outra dama solteira toma o lugar que ficou vago e a tradição continua. Parece ótimo, se as meninas Smythe-Smith soubessem realmente tocar os instrumentos – o que elas definitivamente não sabem.

Honoria Smythe-Smith é uma dessas moças e está desesperada para encontrar um marido para que possa, finalmente, sair do quarteto. Determinada a encontrar seu futuro esposo, Honoria coloca os olhos em ninguém menos que Gregory Bridgerton e, apesar de não estar apaixonada, vê no rapaz ao menos a expectativa de ter um casamento razoavelmente feliz. Até que Marcus Holroyd, o melhor amigo do seu irmão exilado, Daniel, cruza seu caminho novamente, determinado a cumprir a promessa que fez ao amigo, não permitindo que Honoria se case com ninguém menos do que o homem perfeito. O único problema é que por causa de um acidente bem infeliz, ambos se veem em uma situação onde é preciso repensar a amizade entre eles, e quanto mais tempo passam próximos um do outro, mais evidente fica o sentimento que existe entre os dois.

Como eu me diverti lendo esse livro, sério! Diferente da série Os Bridgertons, Simplesmente o Paraíso tem um enredo mais divertido, com personagens mais engraçadas e situações cada vez mais constrangedoras. Vamos começar falando sobre o recital dos Smythe-Smith que, sendo bem honesta, é palco das interações mais engraças e divertidas de todo o enredo. Ao contrário dos outros livros da Julia Quinn, eu achei que Simplesmente o Paraíso foi o mais focado no romance dos personagens principais e com o desenvolvimento menos complexo. Isso não foi ruim, mas confesso que em certos pontos da leitura eu realmente senti falta de uma trama mais complexa.

“Inclinou-se para a frente, tomou o rosto dela entre as mãos e capturou sua boca em um beijo apaixonado. Honoria se sentiu arder, então derreter e quase evaporar. Teve que se controlar para não rir alto de tanta alegria e se ergueu na ponta dos pés para tentar chegar mais perto.”

Em Simplesmente o Paraíso, Julia Quinn nos dá a oportunidade de conhecer a trama como um todo, nos apresentando boa parte dos personagens que vamos conhecer nos próximos volumes da série. Eu gostei muito de como as histórias de todos os livros estão bem amarradas. Tudo o que acontece e é falado em Simplesmente o Paraíso será importante para que você possa conhecer de forma mais profunda os personagens dos próximos livros e se apaixonar por eles da mesma forma como se apaixonou por Honoria e Marcus nesse primeiro livro da série.

Honoria é uma personagem muito fácil de você amar. Até então, foi a personagem de Julia Quinn que eu achei mais bondosa e mais disposta a ajudar as pessoas a sua volta. O amor e o carinho que ela tem pela família e principalmente pelas primas é muito legal de conhecer. Apesar de ela não ter uma personalidade marcante como outras heroínas de romances de época, Honoria tem seus pontos positivos e não deixa ser tratada como menos do que realmente merece. Isso é realmente um ponto muito positivo para a personagem. Quem disse que só porque ela é amável e gentil, ela não pode ser forte, não é mesmo?

“O recital anual da Smythe-Smiths nunca era um bom momento para conhecer um cavalheiro, a menos que ele fosse surdo.”

O romance entre os personagens principais não é tão complexo como já vimos em outros livros da autora. Acho que por termos personagens com uma personalidade bem mais suave e aberta do que os da série Os Bridgertons, o livro acabou não trazendo tantos empecilhos para que o casal principal não ficasse junto logo de cara. Desde os primeiros capítulos do livro, você consegue ver gradualmente a paixão crescer entre Honoria e Marcus até se tornar um amor muito sincero e profundo. Outro ponto que me chamou atenção foi que o envolvimento romântico nesse livro é bem contido, com poucas cenas “calientes”, outra diferença que eu senti para a última série da autora lançada no Brasil, mas que não influenciou tanto assim no enredo em geral.

Eu gostei muito de ler Simplesmente o Paraíso, principalmente por causa da leveza dos diálogos e dos personagens principais. O ar “cômico” do livro mostrou um lado da Julia Quinn que eu ainda não conhecia e do qual eu gostei muito. Apesar de ainda não ter sido o meu livro favorito da autora (porque eu sou muito fiel a Penelope), Simplesmente o Paraíso cumpriu muito bem o seu papel de leitura agradável e me fez querer continuar muito mais tempo no universo dos Smythe-Smith e conhecer mais dessa família maravilhosa.

Gostou da resenha? Então se inscreva na nossa newsletter para acompanhar os próximos conteúdos do blog!

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

ver todos os artigos »



Deixe seu Comentário


Débora Costa

Débora Costa

Geminiana. Escritora de romances nas horas vagas, mas viciada em séries no dia a dia. Publicitária hiperativa de 9h às 18h. Tem Oasis em todas as suas trilhas sonoras literárias. Prefere o Goodreads ao Skoob. A maluca dos romances de época que ainda vai escrever um livro sobre viagem no tempo.

O que eu estou lendo?

O Príncipe Corvo
Elizabeth Hoyt

@laoliphantblog

Colaboradores

Vinicius Fagundes

ver todos os artigos »

Beatriz Kollenz

ver todos os artigos »

Paac Rodrigues

ver todos os artigos »

Editoras Parceiras

Compre com desconto

Assine nossa Newsletter

Últimos Vídeos