Resenhas 26jun • 2017

Melodia Mortalpor Pedro Bandeira e Guido Carlos Levi

O livro no Skoob e no Goodreads.

Editora: Fábrica 231
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 240
Código ISBN: 8595170029

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a Editora para resenha.

Comprar: SubmarinoLivraria CulturaLivraria SaraivaAmazon

Sinopse: Será que Mozart foi assassinado por Salieri? Tchaikovsky morreu de cólera ou envenenamento? Chopin morreu mesmo tuberculoso? E Beethoven, foi vítima do alcoolismo? A resposta, ou pelo menos algumas hipóteses plausíveis para essas perguntas, estão em Melodia mortal, estreia na ficção adulta de um dos maiores autores para o público juvenil do país. Escrito a quatro mãos por Pedro Bandeira com o médico Guido Levi, o livro examina, à luz dos conhecimentos da medicina contemporânea, os indícios possíveis sobre as mortes polêmicas de alguns grandes compositores da música clássica. E quem conduz a investigação é ninguém menos que Sherlock Holmes, auxiliado pelo seu fiel escudeiro, o doutor John H. Watson, que narra as aventuras do detetive na empreitada. Talvez não seja possível, tanto tempo depois, elucidar a causa dessas mortes que a medicina da época não foi capaz de precisar, mas a diversão é garantida neste romance cheio de teorias científicas e enigmas que formam um intricado quebra-cabeça, na tradição da melhor literatura policial.

Poucas coisas são mais tristes do que pegar um livro de um autor cujo trabalho você admira, e o livro simplesmente não atingir as suas expectativas. Os livros do Pedro Bandeira, especialmente a série dos Karas foram alguns dos meus favoritos na época da minha adolescência, então eu estava muito animado para fazer a leitura de Melodia Mortal. Infelizmente, não foi o que eu esperava.

Melodia Mortal é um livro de suspense, seguindo o famoso detetive Sherlock Holmes, e seu companheiro, o Dr. John Watson, enquanto eles investigam diversos de seus misteriosos casos. Holmes, que além de mestre da dedução, é também um amante da música, aplica seu talento para investigação afim de determinar exatamente o que foi que matou grandes mestres da música clássica, como Beethoven, Mozart, e Tchaikovsky. Muitos anos no futuro, a Confraria dos Médicos Sherlockianos, um grupo de profissionais da medicina fãs do detetive, se reúne para discutir as façanhas de Sherlock Holmes.

Fora o fato de ser um livro do Pedro Bandeira, a ideia por trás do livro foi o que mais me chamou a atenção. Sherlock Holmes investigando a morte do grandes gênios da música clássica. É o tipo de plot que não vemos com tanta frequência. Mas na verdade, não é isso que acontece no livro. O que acontece é que Sherlock e Watson investigam algum caso qualquer, e Sherlock comenta que o caso o lembra da morte de um dos músicos. Aí a história muda de direção, e a Confraria dos Médicos Sherlockianos discute a morte do músico em questão.

Esse é o maior problema do livro. Todos os capítulos parecem ser praticamente iguais. O livro não tem um começo, meio e fim. São alguns contos, que apesar de serem até divertidos, não são longos o suficiente para fazerem alguma impressão duradoura. Nenhum deles é memorável o suficiente, e todos tem a mesma fórmula. Não tem nada que possa ser apontado como sendo marcante em nenhum deles.

A narração em si é provavelmente o melhor ponto do livro. As partes que seguem Sherlock são narrados pelo Dr. John Watson, e as que seguem a Confraria dos Médicos Sherlockianos. A narração de Watson é divertida, e os momentos de humor que ele injeta na história me fizeram rir, mas as partes da Confraria dos Médicos Sherlockianos são massantes e não tem nada que grave nenhum dos personagens na mente do leitor. O livro passa muito pouco tempo explorando esses personagens e, além de alguns traços de personalidade bem rasos, nada sobre eles se destaca como interessante.

Outro ponto positivo do livro é o conteúdo histórico dele. Pra quem se interessa por história, ou especificamente pelas figuras históricas do mundo da música, Melodia Mortal é um prato cheio. Em 240 páginas, eu aprendi mais sobre esses músicos clássicos do que já tinha aprendido em toda a minha vida. O livro pode entrar no território de infodump as vezes, mas isso é o tipo de coisa que já é esperado em uma história de Sherlock Holmes.

Talvez eu tenha entrado nessa leitura esperando demais, mas Melodia Mortal foi realmente uma decepção. A narração divertida e os fatos interessantes sobre a história não foram o suficiente para salvar esse livro e ele acaba sendo desconexo e insípido. Eu realmente esperava mais de um autor que foi responsável por alguns dos livros que me ensinaram a gostar de ler, mas infelizmente não foi dessa vez.

Gostou da resenha?! Então se inscreva na NEWSLETTER do blog para acompanhar as novidades.

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

9 Comentários

  • Paac Rodrigues
    11 jul 2017

    Eu também entrei com muitas expectativas assim como você, mas confesso que pra mim a leitura foi maravilhosa sabe? acho que porque eu senti muito do pedro ali e ele é um dos primeiros autores q li na vida kk.

  • Ana Caroline
    04 jul 2017

    Olá tudo bem? Poxa a cada resenha que vejo, me desanimo mais ainda. A opinião parece que é unânime que apesar de um grande enredo em mãos e um grande escritor, nada foi bem trabalhado. Ainda tenho minhas dúvidas se lerei porque muita coisa me deixou para baixo. Que bom que a resenha foi bem sincera!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

  • Lilian Farias
    04 jul 2017

    Eu li esse livro, não é ruim, mas não digo que me encantei, acho também que estão vendendo a coisa de forma equivocada, isso não é para o leitor adulto, sim, juvenil.

  • Ana
    03 jul 2017

    Não consegui pegar ritmo no livro, eu assim como você achei que seria literalmente o Sherlock investigando a morte de grandes músicos. Parece prova de redação do ENEM que a pessoa fugiu do tema, ainda não consegui escrever a resenha desse livro porque a decepção foi grande.
    http://www.belapsicose.com

  • Jéssica Melo
    02 jul 2017

    Olá Vinicius, eu não conhecia esse livro e com a sua resenha acho que essa não seria uma leitura que vá me agradar, apesar disso achei a proposta bacana e é uma pena que o autor não tenha aproveitado ela.

  • Oie
    ai meu deus, como não sabia desse livro.? Pedro Bandeira é o autor que mais adoro pois ele que me trouxe para esse mundo dos livros e que edição mais maravilhosa, adorei, parabéns pela resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  • Oiie!

    Confesso que Pedro Bandeira não é um autor muito comum nas escolas do Pará (pelo menos onde estudei e no período) porque só soube dele morando aqui no Rio haha (E meu irmão está lendo ele na escola)

    Então minhas expectativas no livro estavam com base de que sou fã de Sherlock. Adorei sua resenha, apesar dela ter me desanimado um pouco.

    Mas pretendo ler e tirar minhas proprias conclusoes 😀

    beijos!

  • Mari
    28 jun 2017

    Pois é, também acho que eu estava esperando muito desse livro, exatamente por ter lido várias obras juvenis do Pedro Bandeira. Depois de ler seu post sobre essa leitura, vou com menos sede ao pote.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

  • Morgana Brunner
    27 jun 2017

    Oiii Vinicius tudo bem?
    Eu fiquei apaixonada pela edição resenhada dessa vez, sou uma louquinha por Pedro Bandeira e não pensaria duas vezes a não ser querer ler, ótima resenha e gostei de saber a sua opinião.
    Beijinhos

  • Siga o @laoliphantblogInstagram