Resenhas 28dez • 2017

Lady Whistledown contra-atacapor Julia Quinn

O livro no Skoob e no Goodreads.

Títuo Original: Lady Whistledown Strikes Back
Gênero do Livro: Romance histórico
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 352
Código ISBN: 9788580417678

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: SubmarinoLivraria CulturaAmazon

Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown Contra-Ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável.

Julia Quinn levou o conceito de “squad” há um outro nível quando resolveu escrever Lady Whistledown Contra-Ataca. Sendo bem sincera, livro de contos não é muito o meio tipo de leitura. Eu acho o formato complicado demais porque você pula de uma história para a outra e nem sempre as coisas se encaixam. Mas Julia Quinn é uma Yoda da escrita de época e junto com essas romancistas que eu acabei de conhecer, elas criaram contos maravilhosos que são interligados por um único evento em comum. Não preciso dizer o quanto meu ânimo com essa leitura triplicou depois que eu percebi isso, não é mesmo?!

O primeiro conto, e o meu favorito, é da nossa rainha Julia Quinn. Eu gostei muito da heroína deste conto, principalmente por ela não estar disposta a se casar com qualquer pessoa por causa da sua enorme herança. Mais uma vez, Quinn entregou diálogos divertidos e um romance que te faz rir até a barriga doer. Além disso, contamos com a influencia da nossa maravilhosa Lady Whistledown para abalar as coisas nesse enredo. Sério, como que vocês conseguem ler esse livro e não amar muito a Mathilda e o Peter?! Tão no comeu coração, do ladinho da Penélope e do Colin.

Mathilda é uma heroína muito fácil de você gostar. Sua personalidade determinada e o seu jeito de lidar com as situações, são encantadoras. Mas o que realmente me ganhou nesse conto foi o Peter e a sua determinação para “proteger” a dama de se casar com um caçador de dotes e, eventualmente, tendo que provar para a mesma que ele não era um. Eu gostei muito da verdade que existe no relacionamento deles e como que o amor não surgiu de forma apressada, mas foi construído em cima da confiança e da amizade entre eles.

Mia Ryan foi a dona do segundo conto deste livro e entrega um enredo proibido e cheio de paixão. Eu gosto muito autoras de romance de época exploram os romances proibidos entre pessoas de classes diferentes e eu amei muito a forma bonita e cuidadosa que Ryan trabalha os seus personagens. Esse foi o primeiro conto que eu li desta autora e a sua escrita me conquistou desde o primeiro capítulo. Os diálogos são maravilhosos e o enredo se desenvolve num ritmo que consegue prender o leitor na história.

“Peter olhou para Tillie Howard – lady Matilda, lembrou a si mesmo. Ela era exatamente o tipo com o qual não se casaria. Rica além da imaginação, filha única de um conde. Provavelmente não deveria sequer estar conversando com ela. As pessoas chamariam-no de caça-dotes e, apesar de ele ser exatamente isso, não desejava tal rótulo.”

Eu gostei muito de Isabella como personagem. Ser uma dama de companhia não deveria ser nada fácil naquela época, ainda mais quando se é uma dama que nunca foi beijada. O romance dela com lorde Roxbury é delicado, eu gosto da forma como os dois se desejam e não conseguem negar a atração que existe entre eles. Isso só tornou o romance ainda mais verdadeiro e, acreditem quando eu digo que Ryan tem um talento nato para escrever uma história de amor, viu?

O conto da Suzanne Enoch foi o único que eu não gostei tanto. Minha experiência de leitura com a autora tem sido uma grande batalha. Eu gosto dos seus personagens, mas a narrativa de seu conto é um pouco mais lenta e mais “pesada” do que as outras autoras que fazem parte desse livro. Enoch sabe muito bem criar personagens, mas não acho que o seu forte seja desenvolvê-los. Seu conto foi o único que me deixou com a sensação de que estava faltando algo.

Por outro lado, eu tenho que admitir que gostei do romance em geral. Acredito que a autora poderia ter aprofundando um pouco mais nos personagens, pelo menos o suficiente para que eu pudesse comprar a história de amor deles, mas colocando num balanço geral, não foi tão ruim assim. Eu achei Charlotte uma heroína muito sem graça para um romance de época, mas Matson compensa tudo com o seu charme e seus diálogos maravilhosos. Eu realmente acho que esses dois se completaram de uma forma que salvou esse conto pra mim.

“Lembrou-se de ter pensado, no último aniversário, que era melhor que algo acontecesse durante o ano, algo que mudasse sua vida. Porque, se sua vida fosse a mesma quando chegasse aos 30, de fato não havia muita esperança de que algum dia fosse mudar.”

Karen Hawkins foi uma surpresa com um romance cheio de carinho e emoção. Outra autora desse quarteto poderoso que eu ainda não tinha tido a oportunidade de conhecer. O enredo de Hawkins é instigante e me lembrou muito um dos romances de Sarah MacLean. Nós estamos muito acostumadas a romances onde a heroína está aguardando encontrar o mocinho perfeito, mas com Hawkins nossa heroína quer ver seu marido o mais longe possível, enquanto ele só pensa em formas de conquista-la novamente.

O romance de Sophia e Max é muito divertido. Eu gosto da forma como ela se mostra resistente ao marido, mesmo sabendo que seu coração bate por ele mesmo depois de tanto tempo. E Max não poderia ser mais charmoso, não é mesmo? Eu gosto da forma como eles se encaixam bem na vida um do outro e como o romance deles soa tão natural que nem ao menos parece uma história contada. Quero muito ver outros livros de Karen sendo publicados por aqui.

Não vou mentir, para quem não gosta muito de livros de contos, eu realmente adorei poder rever a Lady Whistledown causando na vida das pessoas. E mais, eu gostei de ver ela perturbando a vida de personagens que nem são da Julia Quinn. Claramente esse squad de romances de época foi a melhor ideia de a Julia rainha poderia ter tido. E o que aprendemos com isso? Nunca deixe passar um livrão desses só porque você não está acostumado a ler contos, viu?

Agora eu quero saber de vocês, qual é o contoo de Lady Whistledown contra-ataca que vocês mais gostaram?! Deixa aqui nos comentários!

Gostou da resenha? Então se inscreve na newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos do blog!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

5 Comentários

  • NIZETE RIBEIRO
    06 jan 2018

    Olá!
    Adorei o comparativo Jullia Quinn = Yoda da escrita de época. Kakakakakaka!!
    Ainda lerei algum livro da autora, quem sabe agora em 2018, anotado sua dica!
    Nizete
    Cia do leitor

  • Debyh
    06 jan 2018

    Ah você sabe que não leio romances de época né?
    Mas gostei da parte da resistência dela com o marido, ao menos foge um pouco das outras histórias.

  • Maria Valéria
    03 jan 2018

    já eu amo livros de contos, mas nao curto o gênero romance de época…tentei ler Quinn mas comigo não funcionou… =T
    pena que vc não curtiu tanto um dos contos, mas sempre tem um que a gente gosta menos…
    bjs…

  • Roberta Gouvêa
    02 jan 2018

    Oi, Débora! Tudo bem?
    Eu gosto de romances de época, mas li poucos. Esse ano quero ter mais leituras desse gênero. Eu adorei a capa desse livro, mas fiquei meio assim se vou gostar, até porquê não conheço a escrita das outras autoras. Mas, quem sabe dou uma chance no futuro. Beijos <3

  • Rackel
    31 dez 2017

    Oi! Ainda não conhecia o livro, mas adorei saber que são contos, gosto deles pela rapidez no desenvolvimento. E sendo da Julia Quinn fica ainda melhor. Adorei a resenha. Bjos <3

    Click Literário

  • Siga o @laoliphantblogInstagram