La Oliphant

La Oliphant

Resenhas

Codinome Lady V por Lorraine Heath

O livro no Skoob e no Goodreads.

Editora: Gutenberg
Ano de Publicação: 2017
1º livro da série Os Sedutores de Havisham
Número de Páginas: 256
Código ISBN: 9788582354193

Comprar: | Livraria Saraiva | Amazon


Sinopse: Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação. Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas. Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes. Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

Débora Costa
06 de abril de 2017 06/04/2017 4 Comentários

Tudo o que você mais quer na vida é uma heroína que não tem medo de dar um gancho de esquerda nos abusados. Você pode até não saber disso ainda, mas Minerva Dodge é tudo o que você precisa ler para saber o que é uma mulher empoderada. De questionamentos simples como “porque as mulheres não podem participar dos negócios” a uma independência determinada, Codinome Lady V é, definitivamente, um romance de época que veio para desconstruir todos os pensamentos machistas de sua época, levando o enredo muito além de um romance água com açúcar.

Codinome Lady V, de Lorraine Heat, conta a história de Minerva, uma solteirona com um dos maiores dotes que a sociedade inglesa já viu. Depois de seis temporadas como debutante, Minerva se vê completamente cansada de ser cortejada por homens que claramente só tem interesse no seu dote – ela até mesmo escreveu um livro sobre isso, se querem saber. Decidida a aceitar sua condição de solteira, Minerva toma a decisão de ir no misterioso clube Nightingale, um lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação. Afinal, ela pode até ficar solteira, mas ela não necessariamente precisa se privar dos prazeres de viver, não é mesmo?

É no Nightingale, sob o codinome Lady V, que Minerva desperta o interesse de um dos libertinos mais cobiçados da sociedade, o Duque de Ashebury, ou Ashe, como ele prefere ser chamado. Recém chegado de uma viagem à África, Ashebury encontra seus cofres vazios e percebe que o único jeito de recuperar sua fortuna é se casando. E adivinha quem tem o maior dote? Isso mesmo, Minerva. Quando o Duque começa a cortejá-la forma do Nightingale, nossa Lady V mal acredita que conseguiu conquistar atenção de Ashe, porém, por mais que ele seja exatamente tudo o que ela sonhou, Minerva não pode arriscar que ele descubra sua identidade e muito menos se apaixonar por outro caçador de fortunas.

Eu nunca achei que fosse encontrar um romance de época que fosse tão maravilhoso como Codinome Lady V. Primeiro de tudo, Lorraine Heat tem um cuidado extremo ao construir todo o universo do livro, nos dando detalhes importante sobre a vida dos seus personagens, mas sem deixar o enredo cansativo ou com informações demais. Os elementos da história se encaixam perfeitamente e o enredo consegue fluir em um ritmo que envolve o leitor em cada capítulo. Lorraine Heat tem uma escrita cômica e seus diálogos são, definitivamente, o ponto forte do livro. Com um bom humor inegável, ela transformou um romance cliché em uma história envolvente e muito divertida de se ler.

Codinome Lady V tem um discurso um pouco diferente do que vemos em romances de época, como Os Bridgertons de Julia Quinn. Minerva não é uma personagem que se vê obrigada a casar simplesmente por querer construir uma família. Ela deseja um casamento por amor, com um homem que respeite o fato que ela tem opiniões e uma visão maravilhosa para os negócios, e a sua família aceita e mais, incentiva que ela não se deixe iludir por qualquer título de nobreza que esteja interessado no seu dote. Aliás, o pai dela – talvez por ter vindo de uma origem muito humilde – é o primeiro a dizer que não vê problema nenhum caso ela não encontre um marido que julgue adequado.

Minerva é uma personagem impossível de não se amar com todo o coração. Sua língua é muito afiada e ao longo de todo o enredo de Codinome Lady V, ela levanta questionamentos feministas como: “porque as mulheres precisam estar com roupas sedutoras, quando os homens podem se vestir da forma que quiserem? ” ou “porque o prazer do homem é sempre melhor aceito na sociedade do que o da mulher?” Para aquela época, temos que admitir, que não é muito comum que as mulheres levantem esse tipo de questão, então me surpreendeu muito quando eu vi longos diálogos da Minerva falando justamente disso. Entendem porque não tem como não amar essa personagem?

Uma coisa que me chamou atenção – e é um detalhe bem idiota, mas que precisa ser mencionado – foi que muitos dos personagens secundário dos livros tinham nomes de personagens dos livros da Julia Quinn. Eu encontrei uma Lady Sarah, Honoria e Hyacinth. Talvez o primeiro seja o mais comum de todos, mas quantas Ladys Honoria e Hyacinth nós temos a oportunidade de conhecer nos romances de época, não é mesmo? Apesar de eu saber que isso não influenciou em nada na história, foi bem interessante encontrar essas personagens secundárias e começar a imaginar toda uma árvore genealógica para elas.

Para aqueles que gostam de romance de época, eu tenho certeza que Codinome Lady V vai ser uma ótima leitura. Os diálogos são muito divertidos e os personagens não deixam nada a desejar. Além disso, vocês não vão querer perder a oportunidade de conhecer o clube Nightingale. Com uma escrita leve e uma heroína com a melhor personalidade que você poderia querer, eu tenho certeza que Codinome Lady V vai ser uma ótima leitura.

Gostou da resenha? Curta a nossa página do Facebook e acompanhe as novidades.

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

ver todos os artigos »



Deixe seu Comentário


Débora Costa

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de Steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

O que eu estou lendo?

A Guerra Que Salvou a Minha Vida
Kimberly Brubaker Bradley

Leia o 1° Capítulo

Descontos La Oliphant

Colaboradores

Vinicius Fagundes

ver todos os artigos »

Beatriz Kollenz

ver todos os artigos »

Amanda Roberto

ver todos os artigos »

Editoras Parceiras

Assine nossa Newsletter

Últimos Vídeos