Resenhas 22jul • 2015

por

O livro no Skoob e no Goodreads.

Ano de Publicação:
Número de Páginas:

Comprar:

Ela Não É Invisível é um thriller escrito pelo autor Marcus Sedgwick e publicado no Brasil pela Galera Record. Este é o primeiro livro do autor publicado no Brasil e também a minha primeira experiencia de leitura com ele.

O pai de Laureth é um escritor muito famoso. Depois de lançar vários livros de sucesso, ele resolve se concentrar em outro tipo de escrita, mas esta acaba não agradando muito ao público. Obcecado por escrever um livro sobre coincidências, ele parte de uma viagem para a Suíça e deixa Laureth responsável por seus e-mails – como sempre.

Ela Não É Invisível

Um dia Laureth recebe um e-mail de um cara chamado Michael dizendo que ele havia encontrado o caderno de rascunhos do seu pai em Nova York. Imediatamente ela tenta entrar em contato com seu pai, mas não consegue nenhum retorno. Preocupada, e sem o apoio da mãe, ela toma uma decisão muito importante: ir procurar pelo seu pai em Nova York.

O único problema é que Laureth é cega desde que nasceu e, para ter sucesso nessa aventura, ela precisa levar consigo o seu irmão Benjamin, de 7 anos que, apesar de ser bem novo, é bastante esperto. Tentando se convencer de que não está sequestrando seu irmão, ambos partem em sua busca para recuperar o caderno do pai e tentar descobrir onde ele realmente está.

Ela Não É Invisível

Quando fiquei sabendo do lançamento desse livro, eu realmente não sabia o que esperar da leitura. Não sou acostumada a ler thrillers, mas achei o enredo tão diferente e interessante que não consegui resistir. Narrado em primeira pessoa, do ponto de vista de Laureth, o livro nos faz acompanhar toda a aventura dos dois irmãos, não deixando de mostrar um pouco como era a relação com os pais e a vida deles em si.

Fiquei completamente apaixonada pela escrita de Marcus Sedgwick. Quando me decidi por ler este livro, fiquei horas me preparando para uma escrita pesada e complexa, mas foi exatamente o contrário. Sedgwick escolheu uma narrativa simples, fluida, que faz com que o leitor mergulhe de cabeça no universo que ele criou e não deseje sair de lá nem mesmo quando o livro termina.

Ela Não É Invisível

O enredo é maravilhoso, criativo. Apesar de Laureth ser cega, o autor buscou não utilizar isso como ponto chave para a história se desenvolver. É apenas uma informação a mais sobre a personagem, mas não algo que a defina dentro da história. Alias, acho que o fato de uma história ser contada por uma personagem cega deixou tudo muito mais interessante, porque durante a leitura eu conseguia ver as coisas pelos olhos dela, mesmo sabendo que – tecnicamente – eu não estava vendo nada.

Os personagens são peculiares, diferentes, interessantes. Mesmo tendo apenas 16 anos, Laureth tem uma compreensão fascinante sobre o mundo em que vive, sempre se mostrando completamente capaz de andar por aí sem precisar colocar uma placa dizendo que é cega para que todo mundo entenda. Na verdade, durante toda a história ela tenta transformar a sua cegueira em algo completamente irrelevante, não só para ela, mas também para as outras pessoas.

Ela Não É Invisível

E Benjamin? Nunca pensei que um personagem de 7 anos fosse me deixar tão encantada. Mesmo sendo quieto, Benjamin tem uma personalidade incrível e um jeito de lidar com as situações que eu não esperava de uma criança. É um personagem calmo, observador, que sabe o momento certo de falar ou de contar alguma coisa. Mesmo estando ali apenas para ser os olhos da irmã, Benjamin se revela um personagem que vai muito além de um garotinho.

Ela Não É Invisível faz com que você veja o mundo através dos olhos de uma menina de 16 anos que não enxerga. É um universo completamente novo, onde você precisa tatear a leitura para entender onde está indo durante todos os capítulos. Uma experiência de leitura que te deixa arrepiada a cada minuto e te faz desejar, constantemente, ser parte daquele universo tanto quanto seus personagens.

Quando este livro entrou na minha estante, eu estava buscando me arriscar em um gênero literário novo. Pra mim, essa era minha aventura e posso dizer que não me decepcionei nem um pouco. Além de uma história fascinante e personagens incríveis, Marcus Sedgwick criou um universo que te obriga a refletir não apenas sobre si mesmo, mas também sobre o mundo lá fora.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

22 Comentários

  • […] Ela Não é Invisível, por Marcus Sedgwick […]

  • Italo Teixeira
    29 jul 2015

    Oi Déborah, tudo bem?
    Esse livro também seria algo novo pára mim, uma experiência bem interessante. Não sou muito acostumado a ler Trhilers, porém adoro os que leio. Fiquei bem curioso, como será que é ler um livro no qual temos uma personagem cega, claro que fica claro que esse não é um grande problema. Enfim, estou curioso para lê-lo MESMO!

  • pah
    29 jul 2015

    Achei a proposta interessante, mas não faz muito meu estilo, por isso não sei se leria ele, pelo menos não agora
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

  • Vanessa
    27 jul 2015

    Olá!
    Adorei o livro, fiquei curiosa por saber como a história se desenrola sendo que a protagonista é cega então não poderá nos descrever os cenários, fiquei muito curiosa mesmo.
    Adorei.

    luadeneon.com

  • Amanda Raupp
    27 jul 2015

    Oii Débora!

    Já tinha ouvido falar na história desse livro e achei muito interessante ^^ A capa é muito linda e eu me apaixonei pela história 🙂 Vou procurar algum lugar para comprar esse livro pois fiquei muito empolgada!
    Parabéns pela resenha ^^

    Beijos, Amanda
    http://www.vicio-de-leitura.com

  • Francine Porfirio
    27 jul 2015

    Wow, sua resenha é arrepiante, flor. Adorei o modo como expôs sua opinião. Desde que vi o lançamento desse livro, o título e a sinopse me atraíram o suficiente para incluí-lo na minha lista e agora não me arrependo. Espero em breve ter condições para realizar essa leitura, porque ao que parece o autor conseguiu, por meio de um thriller, ser muito sensível. Gostei muito da criatividade e ousadia dele.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

  • Ana Carina
    27 jul 2015

    Oie!!!
    Nossa, pela capa eu jamais diria que é um thriller.
    Também sou meio nova na leitura desse gênero mas todos que li amei.
    Deve ser muito legal ler a história “do ponto de vista” dela.
    Adorei sua resenha.
    ;**

    http://www.saladadelivros.com

  • Beatriz
    24 jul 2015

    Que resenha espetacular!
    “Ela Não É Invisível faz com que você veja o mundo através dos olhos de uma menina de 16 anos que não enxerga.” ADOREI !rsrsrs
    Muito legal a forma como você escreve, fiquei louca por este livro, a capa é tão linda quanto o titulo .
    bjos
    http://www.leitorsagaz.com.br

  • d e s s a
    24 jul 2015

    Não sabia sobre o que se tratava esse livro, e agora que sei, estou louca para conhecer a trama. Nunca li um livro com um personagem cego, então estou curiosa para ler Ela não é invisível.
    E essa capa é muito bonita! <3
    beijos

  • LuMartinho
    24 jul 2015

    Oi Debora!
    Eu já li duas resenhas sobre esse livro, mas nenhuma tão completa como a sua!! Eu quero muito ler esse livro e sua resenha só me deu mais certeza, já que se apaixonou pela escrita do autor <3
    Beijos!

    LuMartinho | Face

  • Maiara Vieira
    24 jul 2015

    Oi Débora, tudo bem?
    Não solicitei esse livro e agora lendo sua resenha me arrependo disso, pois o livro parece ser realmente muito bom!
    Eu tinha ficado com medo dessa leitura não ser tão boa e acabei não solicitando, mas como adoro thrillers vou ver se compro depois!
    Ainda não assisti seu vídeo resenha do livro, mas esse fds faço isso!

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

  • Juliete
    24 jul 2015

    Oii!

    Nossa, achei que o livro seria cansativo e cheio de dramas vividos pela garota cega e o desaparecimento do pai, mas me surpreendi pela tua resenha e os elogios a narrativa. Espero conseguir ler e descobrir ainda mais segredos nessa história.

    beijos

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br
    @rs_juliete

  • Déborah Araújo
    24 jul 2015

    Debora, já ouvi falar muitoooo bem desse livro.
    Também não sou de ler Thiller, mas esse me despertou uma curiosidade incrível.
    Louca para ver o mundo por essa destemida garota cega, de anos.
    Quero muito saber como termina a busca dela.

    Lisossomos

  • Aláina Vanzella
    24 jul 2015

    Pelo o que você contou o livro parece ser bom, mas imagino os apuros que uma garita cega e um garoto de 7 anos podem ter passado, gostei do livro pelo o que você contou (já tinha visto antes resenhas mas nenhuma me fez despertar interesse) bem acho que vou comprar esse livro 🙂
    http://www.hurricanestars.com/

  • Angélica
    24 jul 2015

    Oi Débora, Fiquei intrigada como uma jovem de 16 sai em busca do pai com o irmão de 7. E a proposta do livro parece ser boa mesmo, e achei inteligente a ideia de o autor não focar no fato dela ser cega…..
    Um Abraço
    ♥♥♥ Amantes de Jane Austen ♥♥♥ | Amantes de Jane Austen no FB

  • Isabella Marques
    23 jul 2015

    Adoro thrillers, sempre que eu vejo que é desse gênero, eu corro pra ler. Esse parece ser interessantíssimo, assim que puder pretendo comprá-lo.
    Bjs

  • Marijleite
    23 jul 2015

    Olá; conheci esse livro essa semana, vi uma foto dele no Facebook e a capa e o título já me fizeram ficar interessada. Li a sinopse e já fiquei fascinada, li sua resenha e estou aqui sapateando de uma forma que uma criança da idade do Benjamin faria. Eu quero! Eu quero! Eu quero esse livro!!!

  • Aline Coelho
    23 jul 2015

    Débora já tinha visto a capa desse livro (que por sinal é uma graça e bem convidava) pelas redes sociais, mas sua resenha foi a primeira que li e confesso que fiquei curiosa. Mesmo vc informando que o autor não foca tanto na questão da persoagem ser cega, acredito que ele consegue fazer o leitor olhar o mundo pela ótica de alguém sem a visão, acredito também que os deficientes visuais sejam mais detalhistas devido os seus outros sentidos serem mais aguçados que o nosso, enfim deve ser empolgante um suspense por essa perspectiva.
    Além disso o papel fundamental da criança mega esperta e desenrolada que vc citou. Enfim valeu pela dica de leitura e parabéns pela resenha!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

  • Danielle Peçanha
    23 jul 2015

    Estou louca para ler esse livro, só tenho ouvido elogios sobre ele. Me parece ser fascinante, eu achava que era drama, mas vi que vc escreveu que é um thriller e eu fiquei com mais vontade agora. Bjs

  • Nina Tavares
    23 jul 2015

    Oi!
    Ai que invejinha de você! Quero tanto ler esse livro! Acho tudo nele incrível, do enredo à capa, e agora com sua resenha minha necessidade por ele triplicou, rsrs.

    B-jusssss!
    http://www.quemlesabeporque.com/

  • Ana Caroline
    22 jul 2015

    Não conhecia o livro muito bem, Débora. Mas adorei sua resenha sobre ele, nunca palpitaria que um livro com essa capa é um thriller, rs.
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com

  • Kétrin N. Galvagni
    22 jul 2015

    Oi Débora, nossa eu preciso desse livro, sério! Eu sou apaixonada por thrillers e esse parece incrível, com uma premissa bem diferente e que chama muito a atenção, e sem contar que essa capa está divina, né?

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

  • Siga o @laoliphantblogInstagram