Mangás & Animes 17maio • 2017

Vale a pena ler One Piece?

Comecei esse ano com uma vontade enorme de reler alguns mangás, nessa onda acabei embarcando na aventura de reler One Piece. Foram mais de 800 capítulos totalizando 84 volumes, levei ao todo três meses para concluir a série e posso dizer agora que valeu a pena. O tamanho do mangá afasta muita gente, nessa montanha de volumes as pessoas começam a se perguntar: será que vale gastar meu tempo lendo esse quadrinho?

One Piece é uma série bem famosa no Japão, ocupa sempre os primeiros lugares no ranking de vendagens sendo um sucesso absoluto. A obra, que também apresenta uma boa fama mundial, teve em 2015 a sua coroação ao entrar para o Guinness Book como “mesma série de quadrinhos de um só autor a ter mais cópias publicadas”. Na época One Piece totalizava 320.866.000 cópias impressas, contabilizadas desde o início de sua publicação em 1997.

Recentemente o mangá bateu o seu record numa contabilização mais profunda dos exemplares, foram 350 milhões de obras publicadas só no Japão e 66  milhões de obras nos 42 países onde One Piece é lançado. Mais uma vez ninguém pode negar que o mangá é um sucesso absoluto.

Publicado pela primeira vez em 1997 na revista semanal Shonen Jump pelo autor Eiichiro Oda, One Piece conta a história de Luffy, um garoto que sonha em se tornar o Rei dos Piratas. No mundo de One Piece quem dita às regras é a Marinha e o Governo Mundial, entidades que se mostram cada vez mais corruptas ao longo da história. Na contramão dessa realidade existem os piratas que mandam e desmandam nos mares aonde a ‘justiça’ não chega.

Comparado a maioria dos shonens, One Piece é bem pouco maniqueísta. Outra qualidade é o humor, marca registrada e recorrente do autor. É um mangá divertido e leve, ler os volumes é um passatempo fácil e prazeroso. As lutas são bem distribuídas e a história tem uma boa linearidade.

Um dos principais méritos do mangá é a criação de personagens. Oda é mestre nesse assunto, em One Piece até o menor dos coadjuvantes é marcante. Seja pelo design ou pela história de vida, é impossível não gostar dos protagonistas, vilões e figurantes do quadrinho.

O mundo também tem uma boa estruturação, possui regras próprias, o que possibilita os leitores a embarcarem nas teorias e maluquices que só os fãs conseguem. Eu nunca me considerei uma fã de One Piece, mas depois de reler o mangá fiquei viciada. Talvez o tamanho e os anos gastos lendo o mangá façam a gente esquecer o quanto a história é boa, essa refrescada na memória me fez perceber isso.

Claro que também existem alguns problemas. Oda é excessivamente explicativo em alguns momentos, o excesso de texto dá uma cansada, principalmente nas batalhas.  A presença do humor acaba balanceando isso, mas em alguns volumes é evidente a barriga. Senti isso principalmente na saga dos homens peixe. O autor também tem uma mania irritante: desenhar personagens femininas com corpos irreais e bem apelativos.

Foi uma coisa que aumentou com o passar do mangá e que tem me incomodado nos últimos volumes. Entretanto, One Piece possui uma boa quantidade de mulheres, elas lutam e tem seus ideais, mas são claramente apagadas pelos homens.  Não podemos negar que a importância delas nas sagas é uma evolução no gênero battle shonen, contudo ainda temos muito chão para andar.

Outra qualidade da obra são as discussões propostas. One Piece lida com preconceito, com corrupção, com a idéia do que é a justiça. São temas importantes e tratados em vários momentos da história. Não podemos esquecer que é um mangá voltado para o público infantojuvenil, então não são discussões complexas, mas o fato de estarem presentes já é um ponto a mais para o autor.  One Piece também apresenta uma variedade de raças no seu universo, o que mais uma vez incentiva as discussões sobre diferença e preconceito.

Se você se sentiu atraído alguma vez por One Piece e se assustou com o tamanho, vá ler sem preocupações. Você pode acompanhar os volumes sem pressa, ou se preferir ver o anime que é disponibilizado no Crunchyroll – a adaptação é bem fiel e não tem muitos fillers. Leitura obrigatória para quem é fã do battle shonen ou pra quem gosta de quadrinhos. One Piece já é um marco e continuará deixando sua marca na história dos mangás, até porque ainda tem muito que acontecer até o final.

Gostou dessa publicação? Então curta a nossa página no Facebook para acompanhar as novidades do blog!

Beatriz Kollenz ver todos os artigos
Queria ser mesmo uma garota mágica, infelizmente não deu nessa vida. Amo borboletas, mangas shoujo, desenhos animados e livros. Quando não estou voando nas nuvens costumo tocar piano, assistir um dorama ou sentar ao ar livre. Apesar de ser leonina sou muito tímida, a vida é assim, repleta de contradições.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Beatriz Kollenz
    27 jun 2017

    A sexualização é um problema, mas você já tentou ler algum mangá shoujo ou josei? Eles são em sua maioria escritos por mulheres e voltados para os nossas anseios, e não tem essa coisa de fanservice (amém). Se quiser alguma coisa muito boa e sem sexualização tem o Wedding Eve que saiu no Brasil pela Panini, é só um volume e foi escrito por uma autora de joseis 🙂

  • Fernanda F. Goulart
    31 maio 2017

    Oie! Eu já vi muitas pessoas que gostam desse mangá, mas confesso que não sabia que eles possuíam a parte física. Fiquei bastante curiosa para ler, principalmente por conta de todos os assuntos que o autor aborda. Acho que é algo legal para ir comprando aos poucos e acompanhando as aventuras dos personagens.
    Também me incomodo bastante com essa constante sensualização do corpo feminino e isso é bem marcante em diversos mangás que vejo pela internet, infelizmente. Mas adorei a resenha e tentarei assistir para ver o que acho, antes de começar a ler. :3

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart

  • Lilian Farias
    29 maio 2017

    800 capítulos? Valei-me! ‘O tamanho do mangá afasta muita gente’ faz todo sentido. Não conheço One Piece, infelizmente, esse é um universo que pouco me aventuro, então, fico sempre desnorteada. ‘Oda é excessivamente explicativo em alguns momentos’ talvez para mim esse não seja um problema, visto que sou pouco ambientada nesse contexto.

  • André
    29 maio 2017

    Oi Beatriz,
    Eu gosto bastante de anime, mas não tenho o costume de ler mangás. Qual título você sugere para quem é um iniciante?
    Beijos, André

    • Beatriz Kollenz
      27 jun 2017

      Geralmente é bom começar com obras pequenas. Você pode começar vendo os animes que você mais gosta, a maioria deles são adaptações de mangá. Se você pegar para ver o original pode acabar gostando até mais da obra! Depois você pode ir atrás de outros quadrinhos do autor. Muitos dos animes mais famosos tem mangá publicado no Brasil. Eu já indiquei aqui tbm um que eu gosto muito e que é compacto e bom na medida certa: Orange. São só 5 volumes e já está completo pela JBC, caso fique na dúvida tem anime dele tbm, você pode assistir e depois ler. Espero ter ajudado 🙂

  • Maria Luíza
    26 maio 2017

    Olá, tudo bem?
    Eu confesso que não sou muito fã de mangás, então, ainda não conhecia esse. Gostei muito da premissa e até me interessei em ler, por você ter elogiado a criação dos personagens. No entanto, o fato das personagens femininas terem corpos apelativos e ainda serem ofuscadas pelos homens, me incomodaria muito.
    Como já não sou muito ligada em mangás, acho que esses pontos negativos pesaram mais para mim do que os positivos.
    De qualquer forma, adorei a resenha e fico feliz de saber que, agora que releu, você gostou ainda mais dessa série.
    Beijos!

    • Beatriz Kollenz
      27 jun 2017

      Olá! Vou te indicar um manga/anime que oe maravilhoso: Akatsuki no Yona! A história é muito boa e a protagonista é forte. Como é um mangá escrito por uma autora de shoujo não temos o problema recorrente dos mangás shounem de sexualização e preterimento das mulheres. Você vai gostar muito, é fácil de achar pelas internets da vida e tem anime. Espero ter ye animado!

  • Mari
    25 maio 2017

    Não tenho o costume de ler mangás, então conheço bem pouco. O fato de ter personagens femininas com corpos irreais me incomoda bastante, não sei se gostaria de ler.
    Amei a maneira como falou sobre o assunto, bem completa!
    Beijos
    Mari
    http://www.pequenosretalhos.com

  • Tatiana Castro
    25 maio 2017

    OMG!!!! Começou a ser lançado em 97 e já tem tudo isso de publicação Realmente assusta um pouco, mas já escutei o mesmo expanto quando digo que li os 12 livros das Crônicas Vampirescas dá Anne Rice…rs… Então e te do sua dedicação nessa leitura. Eu só me arrisquei a ler os dois primeiros livros do Death Note e , como gostei bastante, quero conhecer outros mangás.
    Obrigada pela dica.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

  • ludmila cabral
    24 maio 2017

    ela ainda nao acabou??? mds, nao sei se eu li certo, mas kkkk eh mt grande, realmente deve tirar a intençao de varias pessoas a ler.. e que sucesso que teve hein
    acho que o fato que te incomodou em relaçao as mulheres tb deriva da epoca que foi escrita, em 1997, nao? pelo menos eh o que eu achei pelo post..
    mas a historia em si parece ser otima, contudo, eu nao me aventuraria com ela…

    perolasdelivros.blogspot.com

  • Siga o @laoliphantblogInstagram