La Oliphant

La Oliphant

Mangás & Animes

Helter Skelter por Kyoko Okazaki

O livro no Skoob e no Goodreads.

Editora: NewPop
Ano de Publicação: 2016
Número de Páginas: 320
Código ISBN: 978-85-8362-117-1

Comprar: Amazon |


Sinopse: Ganhador do “Prêmio Cultural Osamu Tezuka” de 2004, Helter Skelter é uma história de volume único da controversa Kyoko Okazaki. Após várias plásticas extensivas e manutenção vigorosa, Lilico se tornou a beleza em pessoa, se tornando uma modelo, atriz e cantora de enorme sucesso. No entanto, logo seu corpo começa a reagir mal às tantas cirurgias e ela se vê em decadência física. Agora ela é obrigada a encarar as consequências do que fez e o inevitável fim.

Beatriz Kollenz
21 de fevereiro de 2017 21/02/2017 3 Comentários

“Uma palavra antes de começarmos: risos e gritos soam muito parecidos”

A frase de abertura já mostra o clima e o tom do mangá Helter Skelter, talvez um dos quadrinhos mais controversos dos últimos tempos. Com uma arte crua e uma história pesada, pode acabar incomodando muita gente durante a leitura. Vencedor de vários prêmios, entre eles o Tezuka de 2004, Helter Skelter é bem recebido e aclamado pela crítica. A arte de Kyoko Okazaki é proposital. Ao desenhar um quadrinho sobre a cultura da beleza com uma arte ‘feia’ ela já deixa bastante reflexão.

helter-skelter-manga

Helter Skelter teve a sua publicação na revista josei  Feel Young em 2003. A narrativa parte em dois pontos: um narrado por Lilico, uma Idol que chegou ao topo da carreira e agora tem que lidar com a sua decadência conforme envelhece; o outro narrado por um detetive que investiga estranhas mortes ligadas a uma clínica de estética. Lilico não suporta ver que depois de várias intervenções cirúrgicas e sacrifícios, sua carreira está acabando. Enquanto as ovações do público cessam, Lilico é obrigada a escutar os gritos no seu interior, tudo num clima bem perturbador.

Durante todo o quadrinho a autora coloca em xeque o culto às celebridades, ao padrão de beleza e os sacrifícios para alcançar um ideal irreal, que leva muita gente ao túmulo.

maxresdefault (1)

Outra crítica já mais tangente ao público japonês (e quem sabe até a nós no ocidente) é o culto as Idols. Garotas são treinadas desde jovens para saber cantar, dançar e atuar, obrigadas a manter uma imagem inocente e pura, tudo para o prazer da audiência. Alguns anos atrás todo mundo de chocou com a notícia de uma integrante do AKB48 que teve de raspar a cabeça como castigo. Ela cometeu o incrível crime de ter um namorado, algo impensável para seus fãs.

A adaptação para live action de Helter Skelter (excelente por sinal) segue por caminhos bem curiosos. A escolha da atriz para viver Lilico foi ninguém menos que Erika Sawajiri, uma atriz bem odiada pelos japoneses, envolvida em diversos escândalos e problemas com droga.

tumblr_m64vscCE8r1r3grruo1_1280

Helter Skelter é uma excelente indicação para quem gosta de discutir padrões de beleza e a cultura do corpo. Completo em um volume ele traz diversos momentos bem interessantes. Em determinado ponto Lilico comenta que “os cosméticos são como drogas”, em outro ponto ela reflete “Celebridades são freqüentemente julgadas como sendo extremamente fascinantes… Porque celebridade é como um câncer; um tipo de deformidade”.

O mangá abre nossos olhos para a estranheza que é adorar uma pessoa apenas por ela ser bela e famosa, e desejar mudar a forma física para entrar em uma estética impossível. Lilico mesmo é um Frankenstein, as únicas partes do corpo que realmente são suas são os cabelos, os lábios e a vagina. Nada é real nesse mundo da beleza e, envelhecer, pode ser o seu maior crime.

Aliás, por que temos tento medo da idade? Tudo isso é muito bem discutido e retratado nas páginas desse maravilhoso mangá e eu deixo aqui a minha humilde indicação. Antes de ler só aviso que o quadrinho é forte, temos várias cenas de nudez, abuso, drogas e drama psicológico, leia preparado.

Você pode ler mais resenhas de mangás clicando aqui.

Beatriz Kollenz

Bia Kollenz, 24 anos. Farmacêutica. Ama borboletas. Romântica incurável. Membro da casa Targaryen. Estudante da Grifinória. Moradora do distrito 12. Amante das 7 artes. Livros clássicos. Musicais. Mangás. Piano. Disney. Ghibli. Avoada. Tímida. Desastrada. Preguiçosa. Leonina.

ver todos os artigos »



Deixe seu Comentário


Débora Costa

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de Steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

O que eu estou lendo?

The Beauty of Darkness
Mary E. Pearson

Compre com desconto

@laoliphantblog


Colaboradores

Vinicius Fagundes

ver todos os artigos »

Beatriz Kollenz

ver todos os artigos »

Editoras Parceiras

Assine nossa Newsletter

Últimos Vídeos