La Oliphant

La Oliphant

Entrevistas

V. E. Schwab e o universo mágico de Um Tom Mais Escuro de Magia

Débora Costa
12 de agosto de 2017 12/08/2017 0 Comentários

Sentindo vontade de fazer uma viagem a um mundo mágico? Deixe que o Kell, personagem de V.E Schwab, seja o seu guia. Ele é um Antari, o que significa que ele pode viajar entre mundos paralelos, todos os quais estão conectados por versões alternativas de Londres. As viagens de Kell começaram em Um Tom Mais Escuro de Magia, onde conheceu uma ladra chamada Lila – que também é a melhor personagem que você vai conhecer na sua vida, eu juro. A série Tons de Magia chegou ao Brasil em 2016 pela Record e a editora já nos prometeu a continuação dessa aventura.

Não vou mentir para vocês, estou completamente apaixonada por essa série e não vou deixar passar nenhuma oportunidade de ser fangirl de V.E. Schwab a essa altura. Por isso, eu vasculhei a internet atrás de conteúdos que eu pudesse trazer para vocês sobre o livro, afinal, conhecimento é poder, certo? Então se você ainda não está convencido de que Um Tom Mais Escuro de Magia é a leitura perfeita para você, confira essa entrevista da Schwab que traduzimos para vocês.

Confira abaixo a entrevista de V.E. Schwab no site Unbound Worlds:

Pode contar para os nossos leitores sobre o que se trata esse novo universo?

Um Tom Mais Escuro de Magia é sobre um jovem chamado Kell, um mágico com a rara capacidade de se mover entre as versões alternativas de Londres. Oficialmente, ele é um mensageiro, e não oficialmente ele é um traficante, transportando valiosas bugigangas. Mas quando ele entra em posse de um objeto que poderia destruir os mundos, apenas para ter seu bolso roubado por uma ladra de rua chamada Lila, tudo começa a dar terrivelmente errado.

Eu adoro a ideia de viajantes. Mas ter várias versões de Londres? Impagável! Como você chegou com essa ideia e como você distinguiu o que cada Londres seria ou representaria?

A maioria dos meus livros envolve, de alguma forma, a ideia de portas. Portas entre vida e morte, naturais e sobrenaturais, conhecidas e desconhecidas. UTMEDM foi finalmente a minha chance de usar a ideia de portas entre mundos. Eu escolhi Londres porque é um lugar inerentemente mágico, uma cidade com diferentes camadas, com o mundano e o extraordinário lado a lado, apenas uma riqueza de história e mistério.

Provavelmente eu estava mais entusiasmada com a chance de não projetar um, mas TRÊS versões de Londres, cada uma com uma atmosfera e estilo muito diferente. A Londres Cinza é baseada na história de Londres, em torno de 1819, enquanto a Londres Vermelha tem uma influência muito mais oriental, uma fusão de Marrocos e Istambul e Moscou. Londres Branca inspira-se na estética germânica e escandinava, com um clima mais severo e uma paleta mais austera. Os desenhos não eram aleatórios, mas inspirados pelo relacionamento de cada lugar com a magia.

Kell é um personagem intrigante, jogando dos dois lados – antes de ser pego. Que outros canalhas você ama na ficção científica / fantasia?

Um dos meus vilões favoritos agora é Locke Lamora da série Nobres Vigaristas de Scott Lynch. Locke é grosseiro, mas incrivelmente rápido, e uma alegria contagiante. Também não tenho certeza se ele é um “canalha”, mas Kaladin de “Way of Kings” de Brandon Sanderson é um dos meus favoritos absolutos.

A ladra Delilah Bard é um lado diferente da moeda. Quão importante era ter um personagem feminina que não só desafia Kell, mas também o leitor?

Eu acho que é incrivelmente importante ter personagens que não se sentem como metades de um todo, especialmente quando eles são do sexo feminino. Lila não é ums colega, ela é a heroina de sua própria história. Ela não é um interesse amoroso, e ela não é um dispositivo do enredo. Seu propósito não é apenas agradar o leitor ou Kell, é ser verdadeira consigo mesma, e isso faz com que ela seja totalmente badass.

Um Tom Mais Escuro de Magia é, definitivamente, a leitura perfeita para os fãs de Fantasia. Acreditem quando eu digo que obrigaria todos vocês a lerem se eu pudesse, vocês me agradeceriam muito depois. Não esqueçam de conferir a nossa resenha do primeiro livro dessa série que já está disponível no blog e vocês também podem comprar o livro nos links abaixo:

Comprar: Amazon | Cultura | Saraiva

Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez… a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela.

Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto.

Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.

Esta entrevista foi realizada por Shawn Speakman no site Unbound Worlds. O La Oliphant é apenas responsável pela tradução do conteúdo.

Débora Costa

Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

ver todos os artigos »



Deixe seu Comentário


Débora Costa

Débora Costa

Geminiana. Escritora de romances nas horas vagas, mas viciada em séries no dia a dia. Publicitária hiperativa de 9h às 18h. Tem Oasis em todas as suas trilhas sonoras literárias. Prefere o Goodreads ao Skoob. A maluca dos romances de época que ainda vai escrever um livro sobre viagem no tempo.

O que eu estou lendo?

O Príncipe Corvo
Elizabeth Hoyt

@laoliphantblog

Colaboradores

Vinicius Fagundes

ver todos os artigos »

Beatriz Kollenz

ver todos os artigos »

Paac Rodrigues

ver todos os artigos »

Editoras Parceiras

Compre com desconto

Assine nossa Newsletter

Últimos Vídeos